29/09/2013

Utopia


                         Viagem ao centro da esfera:
                          Sugestão, inconsciência, analgesia.
                          Dimensão onírica do corpo que transpõe a crosta,
                          Despe-se do manto físico e instala-se no núcleo.
                          Desperta a alma ainda descomposta de sua intrínseca anestesia;
                          Portal para uma nova quimera.

                           Rodrigo Moura © 2013 Todos os Direitos Reservados

3 comentários:

Evandro L. Mezadri disse...

Belíssima obra, Rodrigo!
Você escreve com maestria, desliza as palavras em pensamentos viajantes!
Grande abraço, sucesso e grato pela visita!

Zilani Célia disse...

OI RODRIGO!
VIM DE OUTRO BLOG E ACHEI LEGAL O TEU POEMA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

ॐ Shirley ॐ disse...

Acho que nada é utópico para a alma que, enquanto o corpo físico repousa, viaja para outras dimensões...Gostei muito do poema, Rodrigo. Beijo!